Os empreendedores da Biozer da Amazônia, indústria de cosméticos e medicamentos fitoterápicos, instalada no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), apresentaram no mês de julho, a uma comitiva de representantes do Governo Federal, os trabalhos sustentáveis desenvolvidos por eles na hora de captar matéria-prima amazônica para o processo de fabricação dos cosméticos naturais e de base florestal amazônica.

A comitiva estava formada por representantes do Ministério da Economia, Ministério de Ciência e Tecnologia e da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Conselho de Administração da Suframa – CAS Suframa). “O trabalho da Biozer vai além do produto comercializado, trabalhamos com as comunidades ribeirinhas, desenvolvendo boas práticas de fabricação e conseguindo a certificação dos produtos dessas comunidades, respeitando a natureza e as populações da floresta”, diz o sócio da empresa, Domingos Amaral Neto, citando como parceiros o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam).

Ainda segundo Amaral, os trabalhos desenvolvidos permitem que haja mais qualidade nos processos. “Não temos interesse em esgotar a matéria-prima das comunidades, queremos também ajudá-las a certificar seus produtos por meio de análises, laudos feitos por nós para que elas possam comercializar os seus produtos com outros clientes”, explica.

Para os sócios Danniel Pinheiro e Amaral Neto, a reunião com a comitiva serviu também para expor o que a empresa está desenvolvendo e manifestar as dificuldades que ainda sofrem as empresas do setor. “Tivemos nesta reunião a oportunidade de aproximar à comitiva todo o processo ou cadeia da bioeconomia. Dessa forma, poderemos contar com o apoio das instituições governamentais em nossos trabalhos”, finalizou Amaral.